O Salão de Frankfurt foi palco para várias revelações, a mais interessante delas o Vision EQS, uma berlina impressionante que antevê o que será a berlina de luxo elétrica da Mercedes quando chegar em 2021.

 

Será o automóvel mais avançado de sempre quando chegar em 2021, tendo como rivais diretos o Jaguar XJ, o Tesla Model S e o Audi e-tron GT. Será vendido lado a lado com a sétima geração do Classe S e será como que o expoente máximo da tecnologia Mercedes, figurando no topo da gama EQ o de já estarão, nessa altura, o EQC, EQA e EQB, sendo o quarto modelo da gama elétrica da casa de Estugarda.

Será o primeiro modelo que utilizará a plataforma feita em aço, alumínio e fibra de carbono, conhecida como MEA. O EQS será, também, a base de um ainda mais luxuoso modelo Maybach, que deverá ser o rival do futuro Rolls Royce elétrico.

O carro terá dois motores elétricos, um em cada eixo, oferecendo tração integral e uma potência combinada de 476 CV e um binário de 759 Nm. Suficiente para chega dos 0-100 km/h em 4,5 segundos e uma velocidade máxima de 200 km/h. A potência pode ser distribuída individualmente a cada roda devido a um sistema de vetorização de binário.

A plataforma MEA tem espaço para uma bateria de 100 kWh, de iões de lítio produzida pela Accumotive, empresa da Mercedes, que oferece uma autonomia de quase 700 km, bem mais que os 400 km do EQC. O carro suporta carregamentos a 350 kW, algo que até agora só a Porsche consegue com o Taycan. Com isto, o EQC carrega 80% da bateria em 20 minutos.

Graças á plataforma, o Vision EQS pode ser aquilo que a Mercedes quiser. O modelo apresentado destaca-se pela elegância de forma, com um capô curto, o para brisas bem inclinado e puxado para a frente e uma traseira redonda e curta, onde desagua um tejadilho muito semelhante ao do CLS. O carro em um baixo centro de gravidade e um amplo espaço interior, minimalista e onde está apenas o indispensável, com um enorme ecrã na consola central.

Se o futuro da linguagem de estilo da Mercedes passar por aqui, é de muito bom gosto e temos de aplaudir o trabalho da equipa liderada por Gorden Wegener.

 

Fonte: Auto+