As separações não são fáceis, mas para a Mercedes o divórcio com a BMW no que toca ao desenvolvimento da mobilidade autónoma foi simples e não ficaram sequelas, porque dias depois anunciou um acordo com a Nvidia.

Nem uma semana durou o “luto” pelo divórcio com a BMW para a Mercedes anunciar uma parceria com a NVIDIA para criar aquilo que a casa alemã diz ser “um revolucionário sistema digital colocado a bordo com uma infraestrutura de inteligência artificial.” Algo que será disponibilizado na gama do construtor de Estugarda a partir de 2024.

O novo sistema permitirá que os futuros modelos sejam atualizados via internet no que diz respeito á condução autónoma. Ou seja, será a mesma coisa que faz a Tesla com os seus modelos e o Autopilot já existente nos modelos vendidos.

A Mercedes revelará mais detalhes nos próximos meses, mas as duas empresas dizem que a arquitetura do novo software terá como base a plataforma Drive da NVIDIA. O que permitirá, assim, oferecer “funcionalidades de condução autónoma de topo” incluindo a automação de “percursos regulares de endereço para endereço.”

O sistema terá “numerosas funções de segurança e aplicações diferenciadas” e os clientes poderão adquirir e adicionar novas funcionalidades ao longo do tempo devido à possibilidade de atualização via internet.

A Mercedes falou sobre subscrição de serviços, pelos que a condução autónoma poderá não ser gratuita, mas alvo de anuidades. Compensa-se, assim, os custos elevadíssimos do desenvolvimento desta tecnologia.

Para lá de tudo isto, a Mercedes e a NVIDIA vão desenvolver uma inteligência artificial (IA) e aplicações de autonomia de condução de Nível 2 e Nível 3, conforme definição da SAE. Mas o Nível 4 para utilização em estacionamento também estará a ser desenvolvido.

Ola Kallenius, o CEO da Daimler, referiu que “esta nova plataforma tornar-se-á mais eficiente e centralizada, com o sistema a ser definido através de software avançado para utilização nos nossos carro no futuro. A arquitetura de IA da NVIDIA irá ajudar-nos a encurtar a nossa jornada rumo à mobilidade autónoma. Estas novas capacidades e a utilização através de descargas da nuvem via internet, melhorando a segurança e incrementando valor e estendendo a experiencia e o prazer de ser o dono de um Mercedes.”

Fonte: Auto+