Nas contas de 2019, veículos a gasolina e gasóleo continuam a dominar, mas as alternativas eletrificadas mantém tendência de crescimento acelerado.

 

Os veículos a gasolina continuam a ganhar força na Europa, com um aumento de 11,9% no último trimestre de 2019. Em Portugal, esta motorização aumentou perto de 2% a sua quota de mercado, seguindo a tendência europeia.

O número de veículos Diesel registados durante o último trimestre de 2019 caiu 3,7% na União Europeia. Face a 2018, as matrículas Diesel também caíram em Portugal, com uma atual distribuição de mercado de 48,6%, o que representa uma quebra de 3,1%.

O mercado europeu

Os veículos Diesel representaram 29,5% do mercado de ligeiros novos durante o último trimestre de 2019. São dados da Associação Europeia dos Construtores Automóveis (ACEA), que diz que os veículos a gasolina, por seu turno, representaram 57,3% do mercado durante este período.

Quanto a soluções eletrificadas carregáveis (elétricos e híbridos plug-in), o número situou-se nos 4,4% entre outubro e dezembro de 2019. Considerando todo o tipo de soluções eletrificadas, a quota de mercado foi de 13,2%.

Durante o ano 2019, quase 60% dos novos automóveis registados na Europa foram a gasolina (58,9% comparativamente aos 56,6% em 2018), enquanto que o Diesel caiu mais de 5% face a 2018, com uma quota de mercado de 30,5%. Já as soluções eletrificadas carregáveis aumentaram um ponto percentual relativamente a 2018 (3,1%).

Veículos movidos a energias alternativas

Durante o último trimestre de 2019, este foi o tipo de propulsão que mais cresceu na Europa, com a procura a aumentar em 66,2% face a 2018.

A procura por veículos 100% elétricos e híbridos plug-in aumentou, respetivamente, 77,9% e 86,4%. Mas são os híbridos (não recarregáveis externamente) que representam a maior fatia na procura por soluções eletrificadas, com 252 371 unidades registadas entre outubro e dezembro de 2019.

Olhando para os cinco principais mercados europeus, todos eles apresentaram crescimento neste tipo de soluções, com a Alemanha a apresentar um crescimento de 101,9% no último trimestre de 2019, resultado obtido graças à venda de híbridos plug-in e híbridos.

Já as restantes soluções alternativas – Etanol (E85), Gás Liquefeito de Petróleo (GPL) e Gás Natural Veicular (GNV) — também cresceram na procura. Nos últimos três meses de 2019, estas energias alternativas aumentaram em 28,0%, contabilizando 58 768 unidades no total.

O mercado português

Portugal continua a preferir o Diesel, embora siga de perto a tendência europeia na procura por propulsão a gasolina.

A Associação Automóvel de Portugal (ACAP) demonstra que foram vendidos, no último mês do ano passado, 8284 carros movidos a gasolina contra os 11 697 veículos Diesel. Considerando o período entre janeiro e dezembro de 2019, o Diesel lidera, com 127 533 unidades registadas contra os 110 215 veículos a gasolina vendidos. Assim, o Diesel registou uma quota de mercado de 48,6% durante 2019.

Consideramos 2018 e verificamos que nesse ano a quota de mercado de veículos a gasóleo era de 51,72%. A gasolina, com 42,0% de distribuição no mercado de ligeiros de passageiros, aumentou perto de 2% face a 2018.

Veículos movidos a energias alternativas em Portugal

Em dezembro de 2019 matricularam-se 690 híbridos plug-in, mas não foi suficiente para ultrapassar os 692 veículos 100% elétricos registados. Mas é nos híbridos que se verifica a maior procura, com 847 unidades vendidas, fazendo deste último o tipo de veículos movidos a energias alternativas mais vendido no último mês do ano passado.

No acumulado, de janeiro a dezembro, foram matriculados 9428 híbridos, 7096 veículos 100% elétricos e 5798 híbridos plug-in.

Quanto às soluções a gás, apenas o GPL foi vendido, com 2112 unidades vendidas durante o último ano.

 

 

Fonte: Razão Automóvel