A utilização de óleo alimentar em substituição de gasóleo ou gasolina já foi apontada como possibilidade algumas vezes, mas e café?

 

Uma startup no Reino Unido está a transformar café em combustível, ajudando a reduzir a pegada ecológica do consumo desta bebida – são consumidas cerca de duas mil milhões de chávenas de café diariamente, em todo o Mundo, de acordo com dados da CNN.

O que a Bio-bean propõe é reaproveitar os grãos de café utilizados para encher essas chávenas. A mesma publicação adianta que, todos os anos, o desperdício de grãos chega às seis milhões de toneladas, que acabam por ir parar a aterros, onde a decomposição dá origem a gases com efeito de estufa.

A solução pode passar por afastar esses grãos dos aterros e dar-lhes uma nova vida sob a forma de biocombustível. Recorrendo a esta abordagem, a Bio-bean já transformou sete mil toneladas de grãos em biocombustível, tendo até desenvolvido uma alternativa para os autocarros londrinos. Porém, indica a CNN, a proposta não era comercialmente viável e o biocumbustível à base de café teve de ser repensado.

Hoje, o foco da empresa está na criação de combustíveis sólidos para utilização doméstica e industrial. Embora também emitam gases com efeito de estufa quando são queimados, a esperança da Bio-bean é de que o processo de reciclagem que levou à sua criação compense.

Se os combustíveis à base de carbono forem substituídos pela solução da Bio-bean, a previsão aponta para uma redução de 80% das emissões em comparação com o envio dos grãos de café para os aterros.

Desde que foi criada em 2013, a Bio-bean já angariou sete milhões de dólares (cerca de 6,5 milhões de euros) e reciclou grãos de café de cadeias como Costa Coffee (também presente em Portugal) ou do aeroporto London Stansted.

 

Fonte: Auto Monitor